Previous Next

Zend_Amf_Server

Zend_Amf_Server fornece um servidor no estilo RPC para manipular requisições feitas com Adobe Flash Player usando o protocolo AMF. Como todas as classes de servidor do Zend Framework, ela segue a API SoapServer, fornecendo uma interface fácil de lembrar para criar servidores.

Example #1 Servidor AMF Básico

Vamos assumir que você tenha criado uma classe Foo com uma variedade de métodos públicos. Você pode criar um servidor AMF usando o código a seguir:

$server = new Zend_Amf_Server();
$server->setClass('Foo');
$response = $server->handle();
echo $response;

Alternativamente, você pode optar por atribuir uma simples função como chamada de retorno:

$server = new Zend_Amf_Server();
$server->addFunction('myUberCoolFunction');
$response = $server->handle();
echo $response;

Você também pode misturar e combinar várias classes e funções. Quando fizer isso, sugerimos que utilize namespaces para que nenhuma colisão de nomes de métodos ocorra; isso pode ser feito simplesmente passando uma string como segundo argumento, tanto para addFunction() ou setClass().

$server = new Zend_Amf_Server();
$server->addFunction('myUberCoolFunction', 'my')
       ->setClass('Foo', 'foo')
       ->setClass('Bar', 'bar');
$response = $server->handle();
echo $response;

O Zend_Amf_Server também permite que serviços sejam dinamicamente carregados baseado em um caminho de diretório fornecido. Você pode adicionar tantos quantos diretórios desejar ao servidor. A ordem em que você adiciona os diretórios ao servidor será a ordem em que a pesquisa LIFO será realizada nos diretórios para encontrar a classe. Adição de diretórios é feita com o método addDirectory().

$server->addDirectory(dirname(__FILE__) .'/../services/');
$server->addDirectory(dirname(__FILE__) .'/../package/');

Ao chamar serviços remotos, os nomes de seus fontes podem conter sublinhados ("_") e pontos (".") como delimitadores de diretórios. Quando um sublinhado é usado, as conveções PEAR e Zend Framework para nomenclaturas serão respeitadas. Isso significa que se você chamar um serviço com_Foo_Bar o servidor procurará pelo arquivo Bar.php em cada caminho incluído em com/Foo/Bar.php. Se a notação de ponto é usada para seu serviço remoto como em com.Foo.Bar, com/Foo/Bar.php será adicionado ao final de cada caminho incluído para autocarregar Bar.php

Todas as requisições AMF enviadas ao script serão manipuladas posteriormente pelo servidor, e uma resposta AMF será retornada.

Note: Todas as Funções e Métodos atribuídos precisam de Blocos de Documentação (Docblocks)

Como todos os componentes de servidor no Zend Framework, você precisa documentar seus métodos de classe usando docblocks PHP. Você precisa fornecer, no mínimo, anotações para cada argumento obrigatório assim como o valor de retorno. Exemplo:

// Função para atribuição:

/**
 * @param  string $name
 * @param  string $greeting
 * @return string
 */
function helloWorld($name, $greeting = 'Hello')
{
    return $greeting . ', ' . $name;
}
// Classe atribuída

class World
{
    /**
     * @param  string $name
     * @param  string $greeting
     * @return string
     */
    public function hello($name, $greeting = 'Hello')
    {
        return $greeting . ', ' . $name;
    }
}

Outras anotações podem ser usadas, mas serão ignoradas.

Conectando ao servidor com Flex

Conectar a seu Zend_Amf_Server a partir de seu projeto Flex é bem simples; você simplesmente precisa apontar sua URI de ponto de extremidade (endpoint) para seu script Zend_Amf_Server

Digamos, por exemplo, que você tenha criado seu servidor e o colocado no arquivo server.php na raiz de sua aplicação, e seu URI é http://example.com/server.php. Neste caso, você modificaria seu arquivo services-config.xml para definir o atributo uri de ponto de extremidade, channel, para este valor.

Se você nunca criou um arquivo services-config.xml você poderá fazê-lo abrindo seu projeto na janela 'Navigator' do Flex Builder. Clique com o botão direito sobre nome do projeto e selecione 'properties'. Na janela de diálogo de propriedades do projeto vá para o menu 'Flex Build Path', aba 'Library path' e tenha certeza de que o arquivo 'rpc.swc' foi adicionado aos caminhos de seus projetos e pressione 'Ok' para fechar a janela.

Você também precisará informar ao compilador para usar o arquivo services-config.xml para encontrar o ponto de extremidade do RemoteObject. Para isso, abra novamente o painel de propriedades de seu projeto clicando com o botão direito do mouse no diretório do projeto a partir da janela 'Navigator' e selecionando 'properties'. Na popup de propriedades selecione 'Flex COmpiler' e adicione a seqüência de caracteres: -services "services-config.xml". Pressione 'Apply' e depois 'OK' para voltar e atualizar a opção. O que você acabou de fazer foi dizer ao compilador Flex para procurar por variáveis de tempo de execução no arquivo services-config.xml que serão usadas pela classe RemoteObject

Agora precisamos dizer ao Flex qual arquivo de configuração de serviços usar para conectar a nossos métodos remotos. Por essa razão crie um novo arquivo 'services-config.xml' em seu diretório src do seu projeto Flex. Pra fazer isso clique com o botão direito no diretório do projeto e selecione 'new'; 'File' que uma nova janela se abrirá. Selecione o diretório do projeto e nomeie o arquivo 'services-config.xml' e pressione 'finish'.

O Flex criou um novo servies-config.xml e o abriu. Use o texto de exemplo a seguir para seu arquivo services-config.xml. Tenha certeza de atualizar seu ponto de extremidade (endpoint) para coincidir com seu servidor de testes e que você salve o arquivo.



    
        
            
                
                    
                
                
                    *
                
            
        
    
    
        
            
        
    

Há dois pontos chave no exemplo. Primeiro, mas por último na listagem, criamos um canal AMF e especificados o poonto de extremidade (endpoint) como URL para nosso Zend_Amf_Server:


Note que demos a este canal um identificador, "zend-endpoint". O exemplo cria um destino de serviço que se refere a este canal, atribuindo a ele um ID também - neste caso "zend".

Em nossos arquivos MXML do Flex, precisamos ligar um RemoteObject ao serviço. Em MXML, isto é feito como a seguir:

Aqui, definimos um novo objeto remoto identificado por "myservice" ligado ao destino de serviço "zend" que definimos no arquivo services-config.xml. Nós depois chamamos métodos em nosso ActionScript simplesmente chamando "myservice.<método>". Como no exemplo:

myservice.hello("Wade");

Quando usando espaços de nomes (namespaces), usamos: "myservice.<espaço de nome>.<método>":

myservice.world.hello("Wade");

Para mais informações sobre como utilizar o RemoteObject do Flex, »  visite o site da Ajuda do Adobre Flex 3.

Manipulação de Erros

Por padrão, todas as exceções lançadas em suas classes ou funções anexadas serão obtidas e retornadas como ErrorMessages do AMF. No entando, o conteúdos destes objetos ErrorMessage variam se o servidor está ou não em modo de "produção" (o estado padrão).

Quando em modo de produção, somente o código da exceção será retornado. Se você desabilitar o modo de produção - algo que você deve fazer apenas para testes - a maioria dos detalhes de exceção serão retornados: a mensagem de exceção, linha, e pilha de execução (backtrace) serão todos anexados.

Para desabilitar o modo de produção, faça o seguinte:

$server->setProduction(false);

Para habilitá-lo novamnete, passe um valor booleano TRUE:

$server->setProduction(true);

Note: Desabilite o modo de produção com moderação!

Recomendamos desabilitar o modo de produção somente durante o desenvolvimento. Mensagens de exceção e pilhas de execução podem conter informações sensíveis que você provavelmente não deseje que terceiros tenham acesso. Mesmo AMF sendo um formato binário, a especificação é aberta, o que quer dizer que qualquer um pode, potencialmente, desserializar os dados carregados.

Uma área para ser especialmente cuidadoso são os próprios erros PHP. Quando a diretiva display_errors do INI está habilitada, qualquer erro PHP para o nível atual de reltório de erros são mostrados diretamente na saída - potencialmente interrompendo a carga de dados AMF. Sugerimos desabilitar a diretiva display_errors em modo de produção para evitar tais problemas

Respostas AMF

Ocasionalmente você pode desejar manipular levemente o objeto de resposta, tipicamente para retornar cabeçalhos de mensagem extra. O método handle() do servidor retorna o objeto da resposta, possibilitando a você fazer isto.

Example #2 Adicionando Cabeçalhos de Mensagem à Resposta AMF

Neste exemplo, adicionamos um MessageHeader 'foo' com o valor 'bar' à resposta antes de retorná-la.

$response = $server->handle();
$response->addAmfHeader(new Zend_Amf_Value_MessageHeader('foo', true, 'bar'))
echo $response;

Objetos Tipados

De modo similar ao SOAP, AMF permite que sejam passados objetos entre o cliente e o servidor. Isso permite uma grande quantidade de flexibilidade e coerência entre os dois ambientes.

Zend_Amf fornece três métodos para mapeamento entre objetos ActionScript e PHP.

  • Primeiro, você deve criar explicitamente ligações no nível do servidor, usando o método setClassMap(). O primeiro argumento é o nome da classe ActionScript, o segundo é a classe PHP que a mapeia:

    // Mapeia a classe ActionScript 'ContactVO' para a classe PHP 'Contact':
    $server->setClassMap('ContactVO', 'Contact');
  • Em segundo lugar, você definir a propriedade pública $_explicitType em sua classe PHP, com o valor representando a classe ActionScript para mapear:

    class Contact
    {
        public $_explicitType = 'ContactVO';
    }
  • Terceiro, de maneira similar, você pode definir o método público getASClassName() em sua classe PHP; este método deve retornar a classe ActionScript apropriada:

    class Contact
    {
        public function getASClassName()
        {
            return 'ContactVO';
        }
    }

Embora tenhamos criado o ContactVO no servidor precisamos agora fazer a classe correspondente em AS3 para que o objeto de servidor seja mapeado.

Clique com o botão direito na pasta src de seu projeto Flex e selecione 'New' -> 'ActionScript File'. Nomeie o arquivo como 'ContactVO' e pressione 'finish' para ver o novo arquivo. Copie o seguinte código para finalizar a criação da classe.

package
{
    [Bindable]
    [RemoteClass(alias="ContactVO")]
    public class ContactVO
    {
        public var id:int;
        public var firstname:String;
        public var lastname:String;
        public var email:String;
        public var mobile:String;
        public function ContactVO():void {
        }
    }
}

A classe é sintaticamente equivalente à classe PHP com o mesmo nome. Os nomes de variáveis são exatamente os mesmos e precisam estar sob o mesmo caso para que funcione apropriadamente. Existem duas marcações meta (meta tags) AS3 únicas nesta classe. A primeira é Bindable, que faz com que um evento de alteração (change) seja disparado quando ela é atualizada. A segunda marcação é RemoteClass, que define que esta classe pode ter um objeto remoto mapeado a ela com um apelido, neste caso ContactVO. É obrigatório que o valor desta marcação seja definido seja estritamente equivalente ao da classe PHP.

[Bindable]
private var myContact:ContactVO;

private function getContactHandler(event:ResultEvent):void {
    myContact = ContactVO(event.result);
}

O evento de resultado gerado pela chamada ao serviço é instantaneamente convertido para o ContactVO do Flex. Qualquer coisa que seja direcionada a myContact será atualizado e os dados de ContactVO serão retornados.

Recursos

Zend_Amf fornece ferramentas para mapear tipos de recursos retornados por classes de serviços em informações consumíveis pelo ActionScript.

A fim de lidar com tipo de recurso específico, o usuário precisa criar uma classe plugin chamado após o nome do recurso, com palavras em maiúsculas e espaços removidos (assim recurso do tipo "resultado mysql" torna-se ResultadoMysql), com algum prefixo, ex.: Meu_ResultadoMysql. Esta classe precisa implementar um método, parse(), recebendo um argumento - o recurso - e retornando o valor a ser enviado para o ActionScript. A classe deve estar localizada no arquivo chamado após o nome do componente, ex.: ResultadoMysql.php.

O diretório contendo os plugins para manipulação de recursos devem ser registrados com o carregador de tipo Zend_Amf:

Zend_Amf_Parse_TypeLoader::addResourceDirectory(
    "Meu",
    "application/library/recursos/Meu"
);

Para uma discussão detalhada sobre o plugins carregadores, por favor veja a seção plugin carregador.

O diretório padrão para recursos Zend_Amf é registrado automaticamente e atualmente contém manipuladores para recursos "resultado mysql" e "stream".

// Classe de exemplo implementando a manipulação de recursos do tipo "resultado mysql"
class Zend_Amf_Parse_Recurso_ResultadoMysql
{
    /**
     * Decodifica o recurso em uma matriz
     *
     * @param resource $resource
     * @return array
     */
    public function parse($resource) {
        $result = array();
        while($row = mysql_fetch_assoc($resource)) {
            $result[] = $row;
        }
        return $result;
    }
}

Ao tentar retornar um tipo desconhecido de recirso (ex., um para o qual não haja plugin manipulador existente) resultará em uma exceção.

Conectando ao Servidor a partir do Flash

Conectando ao seu Zend_Amf_Server a partir de seu projeto Flash é ligeiramente diferente do que com Flex. Contudo, depois da conexão, Flash funciona com Zend_Amf_Server da mesma forma que com Flex. O exemplo a seguir também pode ser usado com um arquivo AS3 do Flex. Reutilizaremos a mesma configuração Zend_Amf_Server com a classe Mundo para nossa conexão.

Abra o Flash CS e crie um novo arquivo Flash (ActionScript 3). Nomeie o documento ExemploZend.fla e salve o documento em uma pasta que você usará para este exemplo. Crie uma nova classe AS3 no mesmo diretório e nomeie o arquivo como Principal.as. Tenha ambos os arquivos abertos em seu editor. Vamos conectar os dois arquivos através da classe de documento. Selecione ExemploZend e clique no palco. No painel de propriedade dos palco, altere a classe de documento (Document class) para Principal. Isso ligará o arquivo ActionScript Principal.as com a interface do usuário do arquivo ExemploZend.fla. Quando você executa o arquivo Flash ExemploZend, a classe Principal.as será executada agora. Agora, vamos adicionar o código ActionScript para fazer a chamada AMF.

Agora nós faremos a classe Principal de modo que possamos enviar dados ao servidor e exibir o resultado. Copie o código a seguir para seu arquivo Principal.as e depois vamos descrever, passo a passo, o papel de cada elemento nele.

package {
  import flash.display.MovieClip;
  import flash.events.*;
  import flash.net.NetConnection;
  import flash.net.Responder;

  public class Principal extends MovieClip {
    private var gateway:String = "http://exemplo.com/server.php";
    private var connection:NetConnection;
    private var responder:Responder;

    public function Principal() {
      responder = new Responder(onResult, onFault);
      connection = new NetConnection;
      connection.addEventListener(NetStatusEvent.NET_STATUS, onComplete);
      connection.connect(gateway);
    }

    public function onComplete( e:NetStatusEvent ):void {
      if(e.info.code == "NetGroup.Connect.Succcess") {
        var params = "Sent to Server";
        connection.call("Mundo.alo", responder, params);
      }
    }

    private function onResult(result:Object):void {
      // Display the returned data
      trace(String(result));
    }
    private function onFault(fault:Object):void {
      trace(String(fault.description));
    }
  }
}

Primeiro precisamos importar duas bibliotecas ActionScriot que executam a maior parte do trabalho. A primeira é NetConnection que atua como um tubo bi-direcional entre o cliente e o servidor. A segunda é o objeto Responder, que manipula os valores de retorno do servidor relacionados ao sucesso ou falha da chamada.

import flash.net.NetConnection;
import flash.net.Responder;

Na classe, precisamos de três variáveis para representar a NetConnection, Responder e a URL da porta de entrada (gateway) para nossa instalação Zend_Amf_Server.

private var gateway:String = "http://exemplo.com/server.php";
private var connection:NetConnection;
private var responder:Responder;

No contrutor de Principal criamos um respondedor e uma nova conexão ao ponto de extremidade (gateway) Zend_Amf_Server. O respondedor define dois métodos diferentes para manipular as respostas do servidor. Por simplicidade eles foram chamados de onResult e onFault.

responder = new Responder(onResult, onFault);
connection = new NetConnection;
connection.addEventListener(NetStatusEvent.NET_STATUS, onComplete);
connection.connect(gateway);

Na função onComplete, que é executada assim que o construtor tenha sido terminado, nós enviamos dados ao servidor. Precisamos adicionar mais uma linha que realiza a chamada a função Mundo->alo do Zend_Amf_Server

connection.call("Mundo.alo", responder, params);

Quando instanciamos a variável responder, definimos uma função onResult e onFault para manipular a resposta do servidor. Adicionamos esta função para um resultado de sucesso vindo do servidor. Um manipulador de eventos de sucesso é executado sempre que uma conexão é manipulada apropriadamente no servidor.

private function onResult(result:Object):void {
    // Mostra os dados retornados
    trace(String(result));
}

A função onFault é chamada se há uma resposta inválida vinda do servidor. Isso acontece quando há um erro no servidor, a URL para o servidor é inválida, o serviço remoto ou método não existe ou se há qualquer outro problema relacionado à conexão.

private function onFault(fault:Object):void {
    trace(String(fault.description));
}

Completamos então a inclusão do ActionScript para realizar a conexão remota. Executando o arquivo ExemploZend agora faz a conexão ao Zend_Amf. Numa revisão, você adicionou as variáveis necessárias para abrir uma conexão ao servidor remoto, definiu quais métodos devem ser usados em sua aplicação para receber respostas do servidor e finalmente exibido os dados retornados através da função trace().

Autenticação

Zend_Amf_Server permite que você especifique ganchos de autentcação e autorização para controlar acesso aos serviços. Isso é feito usando a infraestrutura fornecida pelos componentes Zend_Auth e Zend_Acl.

Para definir autenticação, o usuário fornece um adaptador de autenticação extendendo a classe abstrata Zend_Amf_Auth_Abstract. O adaptador deve implementar o método authenticate() como qualquer outro adaptador de autenticação.

O adaptador deve utilizar as propriedades _username e _password da classe pai, Zend_Amf_Auth_Adapter, para autenticar. Estes valores são definidos pelo servidor usando o método setCredentials() antes da chamada à authenticate() se as credenciais forem recebidas nos cabeçalhos da requisição AMF.

A identidade retornada pelo adaptador deve ser um objeto contendo a propriedade role para que o controle de acesso da ACL funcione.

Se o resultado da autenticação não for bem sucedido, a requisição não é mais procesada e uma mensagem de falha é retornada contendo as razões da falha obtida do resultado.

O adaptador é conectado ao servidor usando o método setAuth():

$server->setAuth(new My_Amf_Auth());

O controle de acesso é realizado usando um objeto Zend_Acl definido pelo método setAcl():

$acl = new Zend_Acl();
criarPermissoes($acl); // Cria a estrutura de permissões
$server->setAcl($acl);

Se o objeto ACL é definido e a classe sendo chamada define o método initAcl(), este método será chamado com o objeto ACL como um argumento. A classe depois cria regras ACL adicionais e retorna TRUE, ou retorna FALSE se nenhum controle de acesso for necessário para esta classe.

Depois de a ACL ser definida, o servidor verificará se o acesso é permitido com o papel definido pela autenticação, sendo o recurso o nome da classe (ou NULL para chamadas de funções) e o privileǵio sendo o nome da função. Se nenhuma autenticação for fornecida, e se o papel anonymous foi definido, ele será usado, em outro caso o acesso será negado.

if($this->_acl->isAllowed($role, $class, $function)) {
    return true;
} else {
    require_once 'Zend/Amf/Server/Exception.php';
    throw new Zend_Amf_Server_Exception("Accesso não permitido");
}
Previous Next
Introdução ao Zend Framework
Resumo
Instalação
Conhecendo o Zend Framework
Guia Rápido do Zend Framework
Introdução ao Zend Framework e ao MVC
Crie Seu Projeto
Create A Layout
Create a Model and Database Table
Create A Form
Congratulations!
Auto-carregamento no Zend Framework
Introdução
Goals and Design
Basic Autoloader Usage
Resource Autoloading
Conclusion
Plugins no Zend Framework
Introdução
Utilizando Plugins
Conclusão
Iniciando com o Zend_Layout
Introdução
Usando Zend_Layout
Zend_Layout: Conclusões
Iniciando com os Marcadores do Zend_View
Introduction
Basic Placeholder Usage
Standard Placeholders
View Placeholders: Conclusion
Entendendo e Usando os Decoradores do Zend Form
Introduction
Decorator Basics
Layering Decorators
Rendering Individual Decorators
Creating and Rendering Composite Elements
Conclusion
Iniciando com o Zend_Session, Zend_Auth, e Zend_Acl
Building Multi-User Applications With Zend Framework
Managing User Sessions In ZF
Authenticating Users in Zend Framework
Building an Authorization System in Zend Framework
Iniciando com o Zend_Search_Lucene
Zend_Search_Lucene Introduction
Lucene Index Structure
Index Opening and Creation
Indexing
Searching
Supported queries
Search result pagination
Iniciando com o Zend_Paginator
Introdução
Exemplos simples
Pagination Control and ScrollingStyles
Juntando tudo
Referência do Zend Framework
Zend_Acl
Introdução
Refinando Controles de Acesso
Uso Avançado
Zend_Amf
Introdução
Zend_Amf_Server
Zend_Application
Introdução
Zend_Application Quick Start
Theory of Operation
Examples
Funcionalidade principal
Available Resource Plugins
Zend_Auth
Introduction
Database Table Authentication
Digest Authentication
HTTP Authentication Adapter
LDAP Authentication
Open ID Authentication
Zend_Barcode
Introdução
Criação de código de barras usando a classe Zend_Barcode
Objetos Zend_Barcode
Renderizadores do Zend_Barcode
Zend_Cache
Introduction
The Theory of Caching
Zend_Cache Frontends
Zend_Cache Backends
The Cache Manager
Zend_Captcha
Introdução
Captcha Operation
CAPTCHA Adapters
SimpleCloud API: Zend_Cloud
Document Service Introduction
Queue Service Introduction
StorageService Introduction
Zend_CodeGenerator
Introduction
Zend_CodeGenerator Examples
Zend_CodeGenerator Reference
Zend_Config
Introdução
Teoria de Operação
Zend_Config_Ini
Zend_Config_Json
Zend_Config_Xml
Zend_Config_Yaml
Zend_Config_Writer
Zend_Config_Writer
Zend_Console_Getopt
Introduction
Declaring Getopt Rules
Fetching Options and Arguments
Configuring Zend_Console_Getopt
Zend_Controller
Guia de Início Rápido do Zend_Controller
O Básico de Zend_Controller
The Front Controller
The Request Object
The Standard Router
The Dispatcher
Action Controllers
Action Helpers
The Response Object
Plugins
Using a Conventional Modular Directory Structure
MVC Exceptions
Zend_Currency
Introduction to Zend_Currency
Using Zend_Currency
Options for currencies
What makes a currency?
Where is the currency?
How does the currency look like?
How much is my currency?
Calculating with currencies
Exchanging currencies
Additional informations on Zend_Currency
Zend_Date
Introduction
Theory of Operation
Basic Methods
Zend_Date API Overview
Creation of Dates
Constants for General Date Functions
Working Examples
Zend_Db
Zend_Db_Adapter
Zend_Db_Statement
Zend_Db_Profiler
Zend_Db_Select
Zend_Db_Table
Zend_Db_Table_Row
Zend_Db_Table_Rowset
Zend_Db_Table Relationships
Zend_Db_Table_Definition
Zend_Debug
Dumping Variables
Zend_Dojo
Introduction
Zend_Dojo_Data: dojo.data Envelopes
Dojo View Helpers
Dojo Form Elements and Decorators
Zend_Dojo build layer support
Zend_Dom
Introdução
Zend_Dom_Query
Zend_Exception
Usando as Exceções
Uso básico
Exceções Precedentes
Zend_Feed
Introduction
Importing Feeds
Retrieving Feeds from Web Pages
Consuming an RSS Feed
Consuming an Atom Feed
Consuming a Single Atom Entry
Modifying Feed and Entry structures
Custom Feed and Entry Classes
Zend_Feed_Reader
Zend_Feed_Writer
Zend_Feed_Pubsubhubbub
Zend_File
Zend_File_Transfer
Validators for Zend_File_Transfer
Filters for Zend_File_Transfer
Zend_Filter
Introduction
Standard Filter Classes
Filter Chains
Writing Filters
Zend_Filter_Input
Zend_Filter_Inflector
Zend_Form
Zend_Form
Zend_Form Quick Start
Creating Form Elements Using Zend_Form_Element
Creating Forms Using Zend_Form
Creating Custom Form Markup Using Zend_Form_Decorator
Standard Form Elements Shipped With Zend Framework
Standard Form Decorators Shipped With Zend Framework
Internationalization of Zend_Form
Advanced Zend_Form Usage
Zend_Gdata
Introduction
Authenticating with AuthSub
Using the Book Search Data API
Authenticating with ClientLogin
Using Google Calendar
Using Google Documents List Data API
Using Google Health
Using Google Spreadsheets
Using Google Apps Provisioning
Using Google Base
Using Picasa Web Albums
Using the YouTube Data API
Catching Gdata Exceptions
Zend_Http
Introduction
Zend_Http_Client - Advanced Usage
Zend_Http_Client - Connection Adapters
Zend_Http_Cookie and Zend_Http_CookieJar
Zend_Http_Response
Zend_Http_UserAgent
The UserAgent Device Interface
The UserAgent Features Adapter
The WURFL UserAgent Features Adapter
The DeviceAtlas UserAgent Features Adapter
The TeraWurfl UserAgent Features Adapter
The UserAgent Storage Interface
The Session UserAgent Storage Adapter
Zend_InfoCard
Introduction
Zend_Json
Introdução
Uso Básico
Uso Avançado do Zend_Json
Conversão de XML para JSON
Zend_Json_Server - JSON-RPC server
Zend_Layout
Introdução
Guia Rápido Zend_Layout
Opções de Configuração Zend_Layout
Uso Avançado de Zend_Layout
Zend_Ldap
Introduction
API overview
Usage Scenarios
Tools
Object oriented access to the LDAP tree using Zend_Ldap_Node
Getting information from the LDAP server
Serializing LDAP data to and from LDIF
Zend_Loader
Loading Files and Classes Dynamically
The Autoloader
Resource Autoloaders
Loading Plugins
Zend_Locale
Introduction
Using Zend_Locale
Normalization and Localization
Working with Dates and Times
Supported locales
Zend_Log
Overview
Writers
Formatters
Filters
Using the Factory to Create a Log
Zend_Mail
Introduction
Sending via SMTP
Sending Multiple Mails per SMTP Connection
Using Different Transports
HTML E-Mail
Attachments
Adding Recipients
Controlling the MIME Boundary
Additional Headers
Character Sets
Encoding
SMTP Authentication
Securing SMTP Transport
Reading Mail Messages
Zend_Markup
Introduction
Getting Started With Zend_Markup
Zend_Markup Parsers
Zend_Markup Renderers
Zend_Measure
Introduction
Creation of Measurements
Outputting measurements
Manipulating Measurements
Types of measurements
Zend_Memory
Overview
Memory Manager
Memory Objects
Zend_Mime
Zend_Mime
Zend_Mime_Message
Zend_Mime_Part
Zend_Navigation
Introduction
Pages
Containers
Zend_Oauth
Introduction to OAuth
Zend_OpenId
Introduction
Zend_OpenId_Consumer Basics
Zend_OpenId_Provider
Zend_Paginator
Introdução
Usage
Configuração
Advanced usage
Zend_Pdf
Introdução
Criando e Carregando Documentos PDF
Salvar Mudanças em Documentos PDF
Trabalhando com Páginas
Desenhando
Interactive Features
Informação do Documento e Metadados
Zend_Pdf module usage example
Zend_ProgressBar
Zend_ProgressBar
Zend_Queue
Introduction
Example usage
Framework
Adapters
Customizing Zend_Queue
Stomp
Zend_Reflection
Introduction
Zend_Reflection Examples
Zend_Reflection Reference
Zend_Registry
Using the Registry
Zend_Rest
Introduction
Zend_Rest_Client
Zend_Rest_Server
Zend_Search_Lucene
Resumo
Construindo Índices
Searching an Index
Query Language
Query Construction API
Conjunto de Caracteres
Extensibilidade
Interoperando com Java Lucene
Avançado
Best Practices
Zend_Serializer
Introduction
Zend_Serializer_Adapter
Zend_Server
Introdução
Zend_Server_Reflection
Zend_Service
Introdução
Zend_Service_Akismet
Zend_Service_Amazon
Zend_Service_Amazon_Ec2
Zend_Service_Amazon_Ec2: Instances
Zend_Service_Amazon_Ec2: Windows Instances
Zend_Service_Amazon_Ec2: Reserved Instances
Zend_Service_Amazon_Ec2: CloudWatch Monitoring
Zend_Service_Amazon_Ec2: Amazon Machine Images (AMI)
Zend_Service_Amazon_Ec2: Elastic Block Storage (EBS)
Zend_Service_Amazon_Ec2: Elastic IP Addresses
Zend_Service_Amazon_Ec2: Keypairs
Zend_Service_Amazon_Ec2: Regions and Availability Zones
Zend_Service_Amazon_Ec2: Security Groups
Zend_Service_Amazon_S3
Zend_Service_Amazon_Sqs
Zend_Service_Audioscrobbler
Zend_Service_Delicious
Zend_Service_DeveloperGarden
Zend_Service_Ebay
Zend_Service_Ebay_Finding
Zend_Service_Flickr
Zend_Service_LiveDocx
Zend_Service_Nirvanix
Zend_Service_ReCaptcha
Zend_Service_ShortUrl
Zend_Service_Simpy
Zend_Service_SlideShare
Zend_Service_StrikeIron
Zend_Service_StrikeIron: Bundled Services
Zend_Service_StrikeIron: Advanced Uses
Zend_Service_Technorati
Zend_Service_Twitter
Zend_Service_WindowsAzure
Zend_Service_WindowsAzure_Storage_Blob
Zend_Service_WindowsAzure_Diagnostics_Manager
Zend_Service_WindowsAzure_Storage_Queue
Zend_Service_WindowsAzure_Storage_Table
Zend_Service_Yahoo
Zend_Session
Introduction
Basic Usage
Advanced Usage
Global Session Management
Zend_Session_SaveHandler_DbTable
Zend_Soap
Zend_Soap_Server
Zend_Soap_Client
WSDL Accessor
AutoDiscovery
Zend_Tag
Introduction
Zend_Tag_Cloud
Zend_Test
Introdução
Zend_Test_PHPUnit
Zend_Test_PHPUnit_Db
Zend_Text
Zend_Text_Figlet
Zend_Text_Table
Zend_TimeSync
Introduction
Working with Zend_TimeSync
Zend_Tool
Usando Zend_Tool na Linha de Comando
Extendendo o Zend_Tool
Zend_Tool_Framework
Introduction
Using the CLI Tool
Architecture
Creating Providers to use with Zend_Tool_Framework
Shipped System Providers
Extending and Configuring Zend_Tool_Framework
Zend_Tool_Project
Introduction
Create A Project
Zend_Tool Project Providers
Zend_Tool_Project Internals
Zend_Translate
Introduction
Adapters for Zend_Translate
Using Translation Adapters
Creating source files
Additional features for translation
Plural notations for Translation
Zend_Uri
Zend_Uri
Zend_Validate
Introduction
Standard Validation Classes
Validator Chains
Writing Validators
Validation Messages
Zend_Version
Obtendo a Versão do Zend Framework
Zend_View
Introdução
Scripts Controladores
Scripts de Visualização
Assistentes de Visualização
Zend_View_Abstract
Zend_Wildfire
Zend_Wildfire
Zend_XmlRpc
Introduction
Zend_XmlRpc_Client
Zend_XmlRpc_Server
ZendX_Console_Process_Unix
ZendX_Console_Process_Unix
ZendX_JQuery
Introduction
ZendX_JQuery View Helpers
ZendX_JQuery Form Elements and Decorators
Pré-requisitos do Zend Framework
Introdução
Notas de Migração do Zend Framework
Zend Framework 1.10
Zend Framework 1.9
Zend Framework 1.8
Zend Framework 1.7
Zend Framework 1.6
Zend Framework 1.5
Zend Framework 1.0
Zend Framework 0.9
Zend Framework 0.8
Zend Framework 0.6
Zend Framework Coding Standard for PHP
Overview
PHP File Formatting
Naming Conventions
Coding Style
Norma sobre a documentação do Zend Framework
Visão Geral
Formatação dos Arquivos de Documentação
Recomendações
Recommended Project Structure for Zend Framework MVC Applications
Overview
Recommended Project Directory Structure
Module Structure
Rewrite Configuration Guide
Guia de Desempenho do Zend Framework
Introdução
Class Loading
Zend_Db Performance
Internationalization (i18n) and Localization (l10n)
View Rendering
Informações Sobre Direitos Autorais